Ponto cantado

🎶 Exu fez uma casa com 7 portas e 7 janelas, pra que Exu quer casa se é Pombagira que vai morar nela? 🎶

Muitos veem esse ponto com um olhar de humor, claro que tem humor e alegria, porque é assim que Exu trabalha, mas, como tudo na Umbanda, tem um fundamento muito grande.
O Orixá Exu constrói as 7 portas e 7 janelas, ou seja, Exu abre as portas para energia dos 7 Orixás entrar. Ele também constrói uma casa, um lugar protegido, ou seja, Exu, como mensageiro que é, abre as portas e dá proteção.
Mas constrói e não fica lá, porque a energia de Exu é energia em movimento, o lugar de Exu é na rua, nas encruzilhadas, onde há energias mal resolvidas, então Exu dá direcionamento.
Mas é interessante ver que Pombagira fica na casa, essa energia é do Orixá Pombagira, pouco falado, que é a energia de trazer à tona a autenticidade da pessoa, o ser verdadeiro da alma, com liberdade e respeito. Pombagira fica para trazer a vida para dentro de casa e a força feminina de leveza e cuidado consigo mesma e com o próximo.
Resumindo, Exu abre as portas para energia dos Orixás entrar e para a energia de Pombagira ficar, para te fazer viver de forma verdadeira, em contato com as energias dos Orixás, de forma autêntica e com respeito às leis de Zambi.

Portanto, antes que o preconceito se instale em julgamentos, permita-se ouvir e sentir as mensagens enfeixadas nos pontos cantados de Umbanda, para encontrar alegria de viver e o profundo sentido das encarnações.

Saravá Umbanda! Saravá Exú Pantera!

Anúncios

Ponto cantado

🎶 “OXALÁ MANDOU QUE EU GIRASSE NA UMBANDA, MAS NA MINHA GIRADA SÓ ESPINHOS COLHI.
OXALÁ MANDOU E EU GIREI.
E A MEUS FILHOS EU NUNCA ESQUECI.” 🎶

Todo ponto cantado de Umbanda tem um fundamento traçado nas Leis de Deus! Este ponto fala da porta estreita.
O Espírito Emmanuel, por meio da psicografia de Chico Xavier, no livro Vinha de Luz nos dá uma visão esclarecedora sobre o assunto, segue: 🍃

“Porfiai por entrar pela porta estreita, porque eu vos digo que muitos procurarão entrar, e não poderão.” – Jesus. (Lucas, 13:24.)

Antes da reencarnação necessária ao progresso, a alma estima na “porta estreita” a sua oportunidade gloriosa nos círculos carnais.
Reconhece a necessidade do sofrimento purificador.
Anseia pelo sacrifício que redime.
Exalta o obstáculo que ensina.
Compreende a dificuldade que enriquece a mente e não pede outra coisa que não seja a lição, nem espera senão a luz do entendimento que a elevará nos caminhos infinitos da vida.
Obtém o vaso frágil de carne, em que se mergulha para o serviço de retificação e aperfeiçoamento.
Reconquistando, porém, a oportunidade da existência terrestre, volta a procurar as “portas largas” por onde transitam as multidões.
Fugindo à dificuldade, empenha-se pelo menor esforço.
Temendo o sacrifício, exige a vantagem pessoal.
Longe de servir aos semelhantes, reclama os serviços dos outros para si.
E, no sono doentio do passado, atravessa os campos de evolução, sem algo realizar de útil, menosprezando os compromissos assumidos.
Em geral, quase todos os homens somente acordam quando a enfermidade lhes requisita o corpo às transformações da morte.
“Ah! se fosse possível voltar!…” – pensam todos.
Com que aflição acariciam o desejo de tornar a viver no mundo, a fim de aprenderem a humildade, a paciência e a fé!…
Com que transporte de júbilo se devotariam então à felicidade dos outros! …
Mas… é tarde. Rogaram a “porta estreita” e receberam-na, entretanto, recuaram no instante do serviço justo. E porque se acomodaram muito bem nas “portas largas”, volvem a integrar as fileiras ansiosas daqueles que procuram entrar, de novo, e não conseguem.

Portanto, são pontos curtos cantados na Umbanda, mas de preciosos significados para a nossa existência.

Assim, estejamos sempre atentos à essência sublime das mensagens no contexto dos pontos cantados na Umbanda, para que possamos sentí-los de corpo e alma, recebendo os benefícios da melodia e das reflexões positivas que nos possam engrandecer espiritualmente.

Saravá Umbanda! Saravá Caboclo Puri Guerreiro!

Filhos de Pemba

 

 

Filhos de Pemba

Por Sandro Luiz

Salve Oxalá,
Salve o Conga cheio de luz,
Salve a união dos filhos de Tupinamba.
Que o branco da paz, esteja presente em nossas vidas.
Axé as pessoas de bom coração.
Salve o ponto.

Dia e noite eu vou cantar ( Eu vou cantar )
Noite e dia eu vou louvar ( Eu vou louvar )
Vou louvar meu pai Xangô ( Kaô meu pai ! Kaô )

Se a mãe sereia me mandar ( Se me mandar )
Nessa linda lua de Ogum ( De Ogum )
Pra iluminar nosso Congá
Pai Oxalá sempre tem mais um

Um filho de pemba que tem fé ( Nós temos fé )
Um filho de pemba que tem luz ( Nós temos luz )

Pra iluminar nosso Congá
Pai Oxalá sempre tem mais um.

#LuzdeXangô