Dia de São Francisco de Assis

sao-francisco
Discípulo de Jesus, Frade Católico e  Cacique Inca. Quem são esses ícones e qual a relação com São Francisco de Assis

 

São Francisco

Em sua vida terrena Giovanni di Pietro di Bernardone nasceu em 5 de Julho de 1182 na cidade de Assis, Itália. Frade católico, fundou a ordem dos Franciscanos, que era constituída por pregadores que levavam a mensagem de que todos deviam seguir a vida de Cristo a risca. Ficou conhecido por humanizar a imagem de Jesus e revolucionar o sistema católico do seu tempo. Trouxe o conceito de bondade da criação divina, derrubando o ideal de que o homem era essencialmente mal. Dedicou sua vida aos pobres e marginalizados, chamando-os de irmãos. Sua imagem também esta relacionada ao zelo pelos animais, sendo ele o padroeiro. Mais tarde a figura de São Francisco notoriamente católico, iria se difundir com uma das linhas da Umbanda.


Linha de Simiromba

Conhecida como Linha dos Monges ou Linha de São Francisco de Assis, existem algumas poucas casas que trabalham dentro dessa linha, onde facilmente entidades com características de padres, freiras e monges são identificados. Um exemplo de casa que exercem o trabalho atualmente na Linha de São Francisco é o Templo Espiritualista São Francisco de Assis – Seara do Caboclo Tabajara e Cabocla Jupira e a casa espírita Casa de São Francisco de Assis.
Essa linha possui um aspecto de trabalho “católico”, fazendo uso por exemplo de cânticos cristãos. Acredita-se que São Francisco tenha sido a reencarnação de João (discípulo de Jesus), e que posterior a sua vida como frade voltou a Terra no séc XV como cacique de uma Tribo Inca, em Machu-Picchu, designando-se então: Pai Seta Branca.

Também existe a indagação de que essa linha tenha surgido junto com antiga macumba carioca, que misturava catolicismo, feiticismo negro entre outras crenças. Neste período, havia se proliferado os trabalhos negativos, e a Linha dos Monges era uma grande auxiliadora na quebra de demandas.

Ainda hoje, São Francisco constitui uma das falanges que compõe a Linha de Oxalá, e continuam com o mesmo intuito de desmanchar feitiçarias, trabalhos destrutivos, magias negras e prezam pela cura e desobsessão de males. Os espíritos franciscanos realizam preces, novenas, súplicas faladas, alguns usam hábito marrom jesuíta e se manifestam como Cabloco da Sete Encruzilhadas, justificando isso a suas últimas duas encarnações como São Francisco e Pai Seta Branca.

A Tenda Nossa Senhora Da Piedade, fundada pelo iniciador da Umbanda Zelio Fernandino de Moraes abrigava algumas dessas incorporações e neste período vários terreiros de Umbanda aderiam a Simiromba.

Oração à São Francisco de Assis

Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz.
Onde houver ódio, que eu leve o amor
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão
Onde houver discórdia, que eu leve a união
Onde houver dúvida, que eu leve a fé
Onde houver erro, que eu leve a verdade
Onde houver desespero, que eu leve a esperança
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria
Onde houver trevas, que eu leve a luz

Ó Mestre, Fazei que eu procure mais
Consolar, que ser consolado
compreender, que ser compreendido
amar, que ser amado
Pois é dando que se recebe,
é perdoando que se é perdoado,
e é morrendo que se vive para a vida eterna

Texto: Júlia Pereira 

Créditos imagem: DEA/A. Dagli Orti

Ê, salubá!

Screenshot_20180726-220430

Feliz dia das mães!

CollageMaker_20180513_130504145.jpg

ORAÇÃO DE MÃE

Deus de Infinita Bondade!
Puseste astros no céu e colocaste flores na haste agressiva… A mim deste os filhos e, com os filhos, me deste o amor diferente, que me rasga as entranhas, como se eu fosse roseira espinhosa, que mandasse carregar uma estrela!
Aceitaste minha fragilidade a teu serviço, determinando que eu sustente com a maternidade o mandato da vida; entretanto, não me deixes transportar, sozinha, um tesouro assim tão grande! Dá-me forças, para que te compreenda os desígnios; guia-me o entendimento, para que a minha dedicação não se faça egoísmo; guarda-me em teus braços eternos, para que o meu sofrimento não se transforme em cegueira.
Ensina-me a abraçar os filhos das outras mães, com o carinho que me insuflas no trato daqueles de que enriqueceste minh’Alma!
Faze-me reconhecer que os rebentos de minha ternura são depósitos de tua bondade, consciências livres, que devo encaminhar para a tua vontade e não para os meus caprichos. Inspira-me humildade para que não se tresmalhem no orgulho por minha causa. Concede-me a honra do trabalho constante, a fim de que eu não venha precipitá-los na indolência. Auxilia-me a quere-los sem paixão e a servi-los sem apego. Esclarece-me para que eu ame a todos eles com devotamento igual.
No entanto, Senhor, permite-me inclinar o coração, em teu nome, por sentinela de tua bênção, junto daqueles que se mostrarem menos felizes! Que eu me veja contente e grata se me puderem oferecer mínima parcela de ventura, e que me sinta igualmente reconhecida se, para afagá-los, for impelida a seguir nos caminhos do tempo, sobre longos calvários de aflição!
E, no dia em que me caiba entregá-los aos compromissos que lhes reservaste, ou a restituí-los às tuas mãos, dá que, ainda mesmo por entre lágrimas, possa eu dizer-te, em oração, com a obediência da excelsa Mãe de Jesus:
“Senhor, eis aqui tua serva! Cumpra-se em mim, segundo a tua palavra”

MEIMEI

Chico Xavier

AS SETE LÁGRIMAS DE UM PRETO-VELHO

CollageMaker_20180513_130552343.jpg

Num cantinho de um terreiro, sentado num banquinho, pitando o seu cachimbo, um triste preto-velho chorava. De seus olhos molhados, esquisitas lágrimas desciam-lhe pelas faces e não sei porque contei-as… Foram sete.

Na incontida vontade de saber aproximei-me e o interroguei. Fala, meu preto-velho, diz ao teu filho por que externas assim uma tão visível dor?

E ele, suavemente respondeu: Estás vendo esta multidão que entra e sai? As lágrimas contadas estão distribuídas a cada uma delas.

A primeira, eu dei a estes indiferentes que aqui vem em busca de distração, para saírem ironizando aquilo que suas mentes ofuscadas não podem conceber…

A segunda a esses eternos duvidosos que acreditam, desacreditando, na expectativa de um milagre que seus próprios merecimentos negam.

A terceira, distribui aos maus, aqueles que somente procuram a UMBANDA, em busca de vingança, desejando sempre prejudicar a um seu semelhante.

A quarta, aos frios e calculistas que sabem que existe uma força espiritual e procuram beneficiar-se dela de qualquer forma e não conhecem a palavra gratidão.

A quinta, chega suave, tem o riso, o elogio da flor dos lábios mas se olharem bem o seu semblante, verão escrito: Creio na UMBANDA, nos teus caboclos e no teu Zambi, mas somente se vencerem o meu caso, ou me curarem disso ou daquilo.

A sexta, eu dei aos fúteis que vão de Centro em Centro, não acreditando em nada, buscam aconchegos e conchavos e seus olhos revelam um interesse diferente.

A sétima, filho notas como foi grande e como deslizou pesada? Foi a última lágrima, aquela que vive nos olhos de todos os Orixás. Fiz doação dessa aos Médiuns vaidosos, que só aparecem no Centro em dia de festa e faltam as doutrinas.

Esquecem que existem tantos irmãos precisando de amparo material e espiritual.

Assim, filho meu, foi para esses todos, que viste cair, uma a uma AS SETE LÁGRIMAS DE UM PRETO-VELHO.

Patacori Ogum

images (3)
Guerreiro supremo do Humaitá, a Pai Ogum peço proteção, me abençoe em nome de Oxalá, e inimigos não me vencerão.
Meu caminho se torna de paz, quando iluminado pelo Cavaleiro de Luz, sua força e sabedoria nos traz, o abraço desse Guerreiro de Jesus.
Sua lança empunhada na mão, me defende dos grandes inimigos, levando para longe uma má ação, sempre protegendo sem deixar-nos feridos.
Ogum é sabedoria, força e coragem, poderoso Guerreiro do amor, ao longe me encanto, como em uma miragem, cavalgando no jardim sem destruir uma flor.
Ao ouvir seu nome, os inimigos se afastam, e para longe de mim, se vão, como cobras assustadas se arrastam, Pai Ogum me protegendo, com sua lança na mão.
Grandioso cavaleiro de Oxalá, as demandas Pai Ogum há de vencer, cavalgando no divino Humaitá, a seus filhos proteção vai oferecer.
Sem espinhos os caminhos ele deixará, para mim que sou seu filho, caminhar, uma luz brilhante, pelo céu passará, iluminando noite escura com a luz de seu luar.
Saravá meu poderoso Pai Ogum, guerreiro que luta pela paz, abençoado pelo nosso Pai Olorum, com Ogum na Gira, a Umbanda tudo faz.
Sem medo de mazela, sem temer o inimigo, a Pai Ogum ofereço uma vela, e a ele peço que me livre do perigo.
Pai Ogum é meu guardião, com ele não tenho temor, sei que sempre terei proteção, Meu Pai me livra de males e de toda dor.
Observando sempre minha caminhada, na estrada da vida, Ogum comigo está, seja manhã, tarde, noite ou madrugada, intercedendo por mim junto a Pai Oxalá.
Muitas dívidas com ti terei, não sei o tanto que terei a agradecer, a ti uma promessa farei, nunca deixar o mal me preencher.
Obrigado Senhor guerreiro da Lua, por tantos dias de glórias e de luz, protegido sempre estarei pela espada tua, Ogum filho de Deus, mensageiro de Jesus.

Patacori Ogum.

Poema escrito por Carlos de Ogum / Luz de Umbanda / 2014

Dona do fogo, da faísca e do trovão!

images (3)

A Orixá Iansã

 

Dentro do estudo da Umbanda Sagrada Mãe Iansã pertence a 5º Linha de Umbanda ou Linha da Lei, onde rege esse mistério junto com Pai Ogum, sendo que a ela se atribui o fator direcionador e cósmico e a ele o fator ordenador e passivo

A onda que irradia da Orixá atinge os seres direcionando-os, ou seja, o mistério de Mãe Iansã é o caminho para quem se encontra desordenado e sem saber por onde começar. Se Ogum abre os caminhos, Iansã aponta qual é o melhor caminho.

Essa ação faz parte do seu princípio cósmico, que na prática se refere a atividade reparadora que a Orixá desenvolve no ser.

Se a pessoa está em equilíbrio com suas ações e positivado no sentido da vida que regem esses Orixás, será amparada pelo fator universal que no caso da linha da Lei corresponde a Ogum.

iansa

Mas se por algum motivo, nesse campo, o desequilíbrio é o que acontece, então é Iansã que comparece trazendo a reparação para aquela situação.

Pai Alexandre Cumino elucida essa situação no estudo Orixás na Umbanda, colocando em questão dois tipos de pessoas: a que tem um foco ou objetivode vida e deseja abrir o caminho para que coisas se realizem nesse aspecto e as que ainda não sabem qual caminho pretendem trilhar e estão de certa forma desorientadas.

Para a primeira situação o fator que responde é o universal/amparador de Ogum e a segunda o cósmico/reparador de Iansã, ou seja, são dois lados de um mesmo mistério: ordenação.

A irradiação divina de Iansã irá refletir em seus filhos o magnetismo em forma de curvas alternadas, de ordem positiva e ativa e de natureza eólica e sempre que os seres forem fatorados por ela eles serão estimulados à busca contínua e amobilidade constante.

Fator Negativado

 

O fator oposto e negativo ao mistério dessas Divindade é a imobilidade. No campo dos elementos Iansã responde ao vento e as ventanias, quando falta a presença desse elemento eólico nos seres, eles se tornam mais “apáticos”.

Como Iansã emana essa energia movimentadora é característico que suas filhas tragam na personalidade esse perfil aguerrido, forte, agitado e vivaz.

As filhas de Iansã são emotivas e se não se impõem, revoltam-se e abandonam quem não se submete a elas e logo estão estabelecendo novas ligações, em que imporão.

No negativo, são apassionadas, bravas, emotivas, de pavio curto, falantes, briguentas, intolerantes, não perdoam quem as magoa e são explosivas.

Já no positivo são envolventes, risonhas, alegres, amorosas, cativantes, ma sem pieguice, possessivas com os seus, amigas e companheiras leais, mulheres decididas que tomam iniciativas ousadas, expeditas, ágeis no pensar e no falar, objetivas e lutadoras e são líderes natas.

Características das filhas de Iansã descritas no livro Orixás Ancestrais – A hereditariedade divina dos seresde Rubens Saraceni

Sincretismo

 

No Brasil ocorre o sincretismo entre a Orixá e a Divindade católica Santa Bárbara. Em algumas regiões ela também sincretiza com Santa Catarina, entretanto o dia de comemoração da Orixá com maior expressão é no 4 de dezembro, dia dedicado à Santa Bárbara no calendário católico.

Tanto as santas, como Iansã partilham também de elementos e simbolismos em comum, como a personalidade forte, imponente e no caso de Santa Bárbara também a presença do simbolismo do raio, que compõe parte da sua lendária história.

Já na tradição africana Iansã pode ser chamada de Oyá, que dentro da mitologia Iorubá é uma divindade das águas e ventos. Alguns mitos contam que o nome de Iansã teria sido dado a Oyá por Xangô e seu significado diz algo como “a mãe do céu rosado” ou “a mãe do entardecer”.

Há também o Itã {mito} que conta que Oyá desejava muito ter um filho e como não poderia concebe-lo, resolveu recorrer a um babalaô que indicou a ela a feitura de um ebó.

Feito o ebó Oyá deu à luz não a um filho, mas sim a nove!

Após a gestação, quando Oyá passava por entre as pessoas era chamada de Iansã. O Itã diz que no yorubá Iansã significa ‘mãe nove vezes’.

Fonte: UmbandaEAD / Júlia Pereira

Salve Umbanda!

Umbanda-Religião

“há 109 anos, acontece em todos os cantos do Brasil (e atualmente fora dele também) em cada casa, templo, cabana, tenda, terreiro.. de forma única e ao mesmo templo intensamente plural, Ritual de Umbanda.”

Clique e leia mais! HOJE ACONTECIA A PRIMEIRA GIRA DE UMBANDA DA HISTÓRIA #109anosdeUmbanda

Viva São Cosme e São Damião!

Cosme e Damião 2017

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Agradecemos a todos que participaram conosco no último sábado, 23 de Setembro da homenagem a falange dos Erês em um grande festejo.

Que Deus abençoe a todos!

 

Optchá Santa Sara Kali!

 

ciganos
Festejo | Ciganos

Santa Sara, minha protetora, cubra-me com seu manto celestial.

Afaste as negatividades que porventura estejam querendo me atingir. Santa Sara, protetora dos ciganos, sempre que estivermos nas estradas do mundo, proteja-nos e ilumine nossas caminhadas.

Santa Sara, pela força das águas, pela força da Mãe-Natureza, esteja sempre ao nosso lado com seus mistérios.

Nós, filhos dos ventos, das estrelas, da Lua cheia e do Pai, só pedimos a sua proteção contra os inimigos.

Santa Sara, ilumine nossas vidas com seu poder celestial, para que tenhamos um presente e um futuro tão brilhantes, como são os brilhos dos cristais.

Santa Sara, ajude os necessitados; dê luz para os que vivem na escuridão, saúde para os que estão enfermos, arrependimento para os culpados e paz para os intranquilos.

Santa Sara, que o seu raio de paz, de saúde e de amor possa entrar em cada lar, neste momento. Santa Sara, dê esperança de dias melhores para essa humanidade tão sofrida.

Santa Sara milagrosa, protetora do povo cigano, abençoe a todos nós, que somos filhos do mesmo Deus.

Salve Vô, Salve Vó!

Nossa humilde oferenda a falange dos pretos-velhos.

Viva Deus.

Este slideshow necessita de JavaScript.

No dia 13 de maio
Tava tocando tambor
O preto tava sentado 
Chapéu de couro chegou...
Branco não entra
Se entrar pau vai comer.