Defumação na Umbanda

O Ogã puxa o ponto, a Cambone embala o turíbulo, a brasa do carvão incendeia as ervas e assim o aroma logo se espalha pelo templo. A vibração das ervas e plantas está em movimento. Esse é um momento de concentração, pedido e purificação.

Defuma com as ervas da Jurema, defuma com arruda e guiné..

defumação no terreiro

A sensação de limpeza, harmonia e tranquilidade é unânime. Pronto, médium e casa defumados. Dependendo da casa esse é um dos primeiros ritos a ser realizado durante a gira. Uma energia positiva invade nossos corações e é sentida na atmosfera do ambiente. O bem estar traduz perfeitamente esse momento.

Conseguiu visualizar a cena? Essa combinação de ritualística e magia faz parte dos principais ritos que você encontrará em um terreiro de Umbanda. Os atos acima descrevem uma defumação. É sobre esse rito que nós vamos falar hoje.

Por que defumar?

Você já deve ter se perguntado pelo porquê da existência do Rito de Defumação durante as giras. Mesmo quem nunca foi à um terreiro, pode lembrar-se desse rito dentro das missas (no início de cada missa os padres também realizam a defumação).

Sem meias palavras o significado principal da defumação é purificar nosso espírito e fazer uma “faxina” em nosso corpo espiritual. O livro Magia de Redenção (obra mediúnica ditada pelo espírito Ramatís), dedica um capítulo para explanar um pouco sobre a defumação e o seu sentido.

Todo o potencial que se elabora no seio da planta, durante os meses de sua vivência no solo seivoso da terra, depois é liberto em alguns minutos da defumação, projetando em torno um potencial de forças, que, além de sua manifestação propriamente física, ainda desagregam miasmas e bacilos astralinos disseminados no ambiente humano.

Ramatís

Como dito no trecho, a defumação tem o poder de “desagregar miasmas e bacilos astralinos”. Acredito que você já deva ter ouvido falar sobre miasmas e larvas astrais, mas aqui vai uma pergunta ao leitor. O que são e como podem te atingir? Sabe responder?

Bom, caso você nunca tenha nem ouvido sobre isso, essa é uma oportunidade de entender esses seres astrais e como eles podem estar relacionado a males físicos, emocionais e psíquicos da maioria (para não dizer todas) das pessoas.

 

Miasmas e Fluídos de Pensamentos

Vamos começar entendendo o que são os miasmas. Miasmas, são energias que se “plastificam” ou podemos dizer, que tomam forma e se acumulam em torno do nosso perispírito (corpo espiritual).

Isso acontece em decorrência de pensamentos e fluidos de pensamentos. As famosas neuras, os traumas, registros marcantes e/ou pensamentos constantes que remontam a uma mesma ocorrência.

Os miasmas podem envolver o perispírito da pessoa e também contaminar o ambiente em que ela vive. Sendo assim, trazemos para o ambiente que vivemos o que nossos pensamentos emanam. Por isso temos o poder de contagiar tudo o que nos cerca (animais, pessoas e etc) com energias positivas. Assim como com as negativas.

Larvas Astrais

Quando acumulamos as energias pesadas, ou seja miasmas negativos, atraímos também as chamadas larvas astrais. Blogque diabos são larvas astrais? Bom, como no plano físico, no astral também existem e vivem larvas, vermes e seres parasitóides. Esses seres, se favorecem de pensamentos pesados e consciências negativadas.

No momento em que você projeta pensamentos que propiciam miasmas negativos, as larvas astrais também encontram abertura para se instalarem.

Esses seres agem como sanguessugas das nossas energias negativas, e podemos dizer que eles se “alimentam” delas causando os mais variados tipos de moléstias e doenças (emocionais, físicas e psíquicas) aos indivíduos que os carregam. Mas veja bem, as larvas astrais não são espíritos obsessores e em algumas literaturas iremos encontrar o termo: elementares ou vírus astrais.

Goods vibes X Bad vibes

Tanto os miasmas, como as larvas astrais só se estabelecem em um corpo espiritual, se o mesmo tiver uma rotina de ações e principalmente pensamentos que os coloquem em uma situação negativada. Quais pensamentos propiciam essa abertura, Blog? Já ouviram falar em “good vibes”? esse é um termo bem.., podemos dizer “pop” no momento, mas se encaixa muito bem no que pretendemos chegar.

As “boas vibrações” são o conjunto de pensamentos positivos e ações benéficas que uma pessoa realiza em prol de si ou de outro. Por exemplo, uma prece de uma mãe à um filho é um pensamento positivo que toma uma forma astrale age no perispírito dessa pessoa buscando protege-la de pensamentos negativos externos ou da ação das larvas. É como se fosse então, um miasma positivo e benéfico, que cria uma redoma no perispírito da pessoa defendendo-a de possíveis ataques de ordem negativa.

Quanto aos pensamentos ruins temos uma lista bem extensa e podemos considerar tudo aquilo que nos faz mal, que traz uma sensação de desgaste e que na maioria das vezes toma nossos pensamentos de uma maneira descompensada e constante. Preconceito, injúrias, excessos, vícios, raiva, vingança, inveja, orgulho, mágoa, vulgaridade e toda sorte de comportamentos grosseiros, obscenos e rudes. Todo esse conjunto de pensamentos ruins e decadentes possibilitam os miasmas negativos e propiciam a entrada das larvas.

Cascões e Casulos

Nesse contexto também podemos citar o acúmulo das larvas astrais, que é quando vão se criando uma espécie de cascões ou casulos em torno do perispírito da pessoa, que acaba ficando com uma aparência rugosa e asquerosa. Gente, ninguém vai querer virar o “Coisa” do quarteto fantástico no mundo astral, não é? então, vamos manter a higiene desse espírito ai! Brincadeiras à parte, nesse “estágio” a entrada de vibrações positivas é dificultada por esses casulos e é então que o rito de defumação se faz extremamente importante.

A defumação vai desenvolver a assepsia do campo espiritual da pessoa e com isso muitos desses cascões vão se dissipando, assim como as larvas astrais que também começam a sucumbir à ação da fumaça aromática. Aos que ainda resistem a primeira defumação acabam se extirpando por meio da defumação com cachimbo que se utiliza do tabaco como uma erva mais eficaz para essa situação.

Frisamos o “essa situação” porque cada erva tem uma propriedade e em cada caso ela deve ser usada de uma maneira diferente, em um sentido e com uma ativação diferente, assim como, cada mal deve ser tratado por uma erva diferente.

Fonte: Julia Pereira @umbandaead

Anúncios

FOLHAS E ERVAS DOS ORIXÁS

 

Folhas e Ervas são a base de praticamente tudo que nos cerca.

Na Umbanda é o sangue vegetal que na forma de banhos nos purifica e consagra.

Quem for banhado por elas espanta os males físicos e espirituais.

As ervas possuem vasto uso, nos rituais são muito utilizadas em homenagens, invocando sua proteção para que os atos litúrgicos sejam bem encaminhados. Enfim, seu uso é primordial, pois nada acontece sem folhas.

Um dos grandes mistérios em quase todos os ramos da Magia em todo o mundo é a utilização das plantas, raízes e sementes das ervas mais variadas. São usadas tanto em forma de defumações para os Deuses quanto para banhos purificadores, protetores e de cura.

A seguir citaremos algumas das ervas mais usadas na Umbanda e o Orixá pertencente:

OXALÁ

Levante
Erva Cidreira
Alecrim, Hortelã
Boldo, – algodoeeiro
– colônia, – girassol
– funcho
– malva cheirosa
IEMANJÁ
 
Unha de vaca
fls de Lágrimas de Nossa Senhora
Mastruço, Chapéu de couro
Jasmim, anis
– erva de Santa Luzia
– pata de vaca, – hortelã
– alfazema, – lavanda
FALANGE DAS CRIANÇAS
 
Amoreira, Alfazema
– groselheira
– hortelã
– rosa branca
– alecrim, – laranjeira
– manjericão
– sálvia

OXUM

– alfavaca, – arnica
– calêndula,  camomila
– erva cidreira
– ipê amarelo, – gengibre, rosa branca e amarela

 

OXÓSSI

– carapiá ou contra erva
– salgueiro chorão
– jurema, – eucalipto
-alecrim do campo
– guiné caboclo, – samambaia
– pariparoba, – alfavaca

 

IANSÃ

amor agarradinho
– bambu, – dormideira
– romã, – espada de Iansã
– louro, – manjericão
pitangueira, – alfazema

 

XANGÔ
Café (Folhas)
Mangueira (Folhas)
Erva de São João
– alfavaca roxa
– flamboyant, – manjerona
– hortelã, – levante
– cipó mil-homens
– mentrasto, nega mina
OGUM
Flecha de Ogum,
Erva de Bicho (Folha de Jurupitã)
– vence tudo – abre caminho
-aroeira, -pinhão roxo
– carqueja, – pata de vaca
– agrião, -losna, -jatobá
– espada de São Jorge
PRETOS VELHOS
Guiné
Eucalipto
Arruda
– manjerona
– pinhão roxo
EXU
Mamona, carqueja,
picão preto, unha de gato, arruda, comigo ninguém pode, beladona, cactus, cana de açúcar, mangueira, pimenta da costa, urtiga
pinhão roxo,  chorão
OMULU OU OBALUAIÊ
– alfavaca roxa
– agapanto lilás
– babosa
– fruta de pomba
– mostarda, – mamona
– gervão, – velame
– canela de velho 
NANÃ
– alfavaca, – assa peixe
– erva cidreira
– cipreste, – avenca
– manacá, – quaresmeira
– pinhão roxo
– crisântemos roxos
– oriri

 

ERVAS MAIS USADAS NA UMBANDA

 

Alecrim – Bastante emprego nos rituais de defumação, banho de descarrego. Eficiente destruidor de larvas astrais. O Chá é empregado para combater tosses e bronquites com sucesso.

Arruda – Muita usada contra maus fluídos, inveja, olho-grande, e para benzimentos. Aplica-se na lavagem de contas (guias), e banhos de limpeza ou descarrego. O uso medicinal é contra verminoses e reumatismo em chás, e o sumo aplica-se para reduzir feridas.

Bambu – Poderoso defumador contra larvas astrais, fazendo mistura com palha ou bagaço de cana. Excelente banho / obsessores ou maus espíritos. Na medicina popular é utilizado nas diarreias e perturbações do estômago.

Camomila – Na medicina popular tem larga utilização em chás reguladores dos intestinos; estimula o apetite.

Cana-de-Açucar –  Planta muito importante nos rituais. Seja o bagaço ou o produto, o açúcar, são amplamente utilizadas em defumações para melhoria das condições financeiras, misturando com pó de café virgem, cravo-da-índia, e canela em pó.

Girassol – Tem muito prestígio em defumações pois é poderoso anulador de fluidos negativos destruidora de larvas astrais. Nas defumações usa-se as folhas e nos banhos colocam-se também as pétalas colhidas antes do nascer do sol.

Romã – As folhas são utilizadas em banhos de descarrego. A medicina popular emprega o cozimento das cascas dos frutos para o combate de vermes e o mesmo cozimento para gargarejos nas inflamações de garganta e da boca.

 

ORIXÁS E SUAS ERVAS

Oxalá: Tapete de Oxalá (boldo), algodão, arnica da horta, alecrim, folhas e ramos de palmeiras, folhas de laranjeira, hortelã, erva cidreira, rama de leite, malva branca, saião branco, folha da costa, rosa branca, louro, manjerona, manacá, macaça, erva doce;

Oxossi: Alfavaca do campo, jureminha, caiçara, arruda, abre caminho, malva rosa, capeba, peregum, taioba, sabugueiro, jurema, capim limão, acácia, cipó caboclo, goiabeira, erva de passarinho, guaco, guiné, malva do campo, são gonçalinho, Louro, cabelo de milho, eucalipto, manjericão, samambaia;

Ogum: Espada de São Jorge, crista de galo, folhas de mangueira, Taioba, Cipó chumbo, Palmeira de dendezeiro (Mariwo), abre caminho, alfavaquinha, arnica, aroeira, capim limão, carqueja, dandá da costa, erva tostão, eucalipto, jaboticabeira, losna, pau rosa, peregum, porangaba, são gonçalinho, jatobá;

Xangô: Folha da costa, matamba, betis cheiroso, levante, folha de fogo, cerejeira, figueira branca, amoreira, ameixeira, espada de Santa Bárbara, Comigo ninguém pode, cipó mil homens, folhas de café, folha de manga, Guiné, arruda, limoeiro, umbaúba, vence demanda, urucum, pessegueira, pau pereira, para raio, noz moscada, nega mina, mutamba, mulungu, manjericão, malva cheirosa, jaqueira, folha da fortuna, folha da costa, fedegoso, erva tostão, erva de são João, cavalinha;

Iemanjá: Jarrinha, Rama de leite, cana do brejo, betis cheiroso, algas marinhas, alfavaquinha, flores branca de qualquer espécie, aguapé, camélia, folha da costa, jasmim, lágrima de nossa senhora, macaça, malva branca, taioba branca;

Oxum: Folha de vintém, folha da fortuna, malva, dracena, rama de leite, malva rosa, narciso, flores de tonalidade amarela, lírios de toda espécie, margaridas, flor de maio, amor perfeito, madressilva, quioco, oriri, mutamba, melissa, macaça, ipê amarelo, folha da costa, erva de santa Maria, erva de santa luzia, colônia, camomila, assa peixe, aguapé;

Iansã: Erva santa, umbaúba, folhas de bambu, folha de fogo, capeba, perientária, bredo sem espinho, malmequer branco, dormideira, espada de santa bárbara, flores amarelas ou coral, dracena, papoula, gerânio, erva de passarinho, erva tostão, guiné, jaborandi, louro, malva rosa, nega mina, peregum, pinhão roxo;

Nanã: Alfavaca roxa, assa peixe, avenca, cana do brejo, capeba, cedrinho, cipreste, erva de passarinho, jarrinha, manacá, Maria preta, mutamba, quaresmeira, rama de leite;

Omulu/Obaluaê: Zínia, folhas de laranja lima, folhas de milho, barba de velho, vassoura preta, velame, sete sangrias, sabugueiro, musgo, manjerona, mamona, espinheira santa, carobinha do campo, assa peixe;

Exu: Abranda fogo, mamona, carqueja, picão preto, unha de gato, arruda, comigo ninguém pode, arrebenta cavalo, azevinho, bardana, beladona, cactus, cana de açúcar, cansação, catingueira, corredeira, figueira preta, folha da fortuna, garra do diabo, mangueira, pau d’alho, pau santo, pimenta da costa, pinhão roxo, urtiga, chorão;

As 7 linhas: Geralmente usam todas as ervas não existindo uma em especial.

 

CLASSIFICAÇÃO DAS ERVAS:

Ervas Calmas: Boldo, erva doce, erva cidreira, alecrim do campo, camomila, capim santo, malva branca, malva cheirosa, erva de santa Maria, erva de santa luzia, jasmim, colônia, macaça, aguapé, alfazema, melissa, capim cidrão, folha de maracujá, manjericão, etc…

Ervas fortes: Arruda, guiné, espada São Jorge, espada de Santa Bárbara, carqueja, aroeira, comigo ninguém pode, peregum, nega mina, umbaúba, mamona, picão branco, eucalipto, pinhão roxo, bambuzinho, taioba, lança de Ogum, espada de Ogum, folha de fumo, etc…

Ervas bravas: Barba maldita (cipó azougue), unha de gato, comigo ninguém pode, coroa de cristo, mamona, picão preto, urtiga, chorão, folha de limão, folha de seringueira, etc…

Obs: A combinação das ervas, deve ser feita de acordo com a necessidade, não há mistério, desde que conheçamos as ervas e sua classificação e ainda os Orixás, por exemplo: banho de abre caminho deve-se usar ervas fortes combinadas com Orixás de abre caminho. Ervas bravas de preferência devem ser usadas apenas como bate folha (descarrego) na matéria ou em lugares.

BANHOS DE ERVAS

Arnica – afasta a negatividade

Abre Caminho – novas forças

Alecrim – clareza mental

Arruda – proteção

Anis Estrelado – aumenta a autoestima

Água-de-arroz – calmante

Alfazema – mudança

Camomila – limpeza (bactericida)

Canela – limpeza, força e prosperidade

Cravo da Índia – estimulante

Erva doce – boas energias

Espada de São Jorge – proteção

Folhas de Manga – prosperidade

Folhas de Louro – prosperidade

Fumo – proteção

Flor de sabugueiro – calmante

Guiné – proteção e força

Girassol (sementes) – acelera as mudanças

Hortelã – aceitação

Levante – força, melhorar a autoestima

Losna – corta a negatividade (raivas)

Macela – calmante (bom para insônia)

Manjericão – equilíbrio, renova as células do organismo

Pitanga (folhas) – melhora a circulação

Rosas brancas – limpeza

Rosas vermelhas – energia

Banhos Específicos:

Descarrego:

– 3 galhos de arruda

– 3 galhos de guiné

– 3 galhos de alecrim

– 1 espada de São Jorge

Abre Caminho:

– 7 folhas de loro

– 7 galhos de manjericão

– 7 cravos da índia

– 7 sementes de girassol

ERVAS PARA ENCAMINHAR ESPÍRITOS DESEQUILIBRADOS  –   São usadas para fazer Sacudimentos de Pessoas e Ambientes como: Losna; Cipó; Comigo-Ninguém-Pode; Fumo; Alho; Crisântemo; Bananeira; Abre-Caminhos; Espada de São Jorge; Pinhão Roxo; Guiné; Mamona, entre outras.

ERVAS PARA AMULETO – Usadas com a finalidade de Proteção e Segurança, são as seguintes: Alfavaca ou Manjericão; Guiné; Arruda; Indirí; Alecrim; Canela Preta; Espada de São Jorge, entre outras.

Fontes: 
www.raizdecaboclo.webnode.com
www.tefl.com.br, UMBANDA - A CAM