Reforma íntima: Minha ou só a do outro ?

reforma intima

Falando mais uma vez sobre os 20 conselhos para reformar nosso interior deixados pelo espírito de Irmã Scheilla por intermédio do Médium Chico Xavier.

* Comentários entre parênteses

** Confira também em nossa Sessão Humor e Espiritismo, o vídeo sobre Reforma Íntima Clique Aqui!

1 – Executar alegremente as próprias obrigações.

(Existem duas explicações para palavra obrigação conforme os dicionários. Um indica que temos que cumprir nossos compromissos/atribuições enquanto cidadãos, Pais, filhos, estudadantes, trabalhadores etc. E trazendo para dentro do nosso contexto religioso, a obrigação de nossa necessidade moral, ou seja, o que fazemos e o que podemos fazer para reformarmos nosso interior ou para agir enquanto bom cidadão, bom cristão, bom pai, boa mãe, bom amigo etc.

Sou Umbandista por que me obrigaram ? Devo deixar a cargo de meus guias os trabalhos ? Há algo que posso melhorar em mim para que os guias espirituais possam agir com mais facilidade em meu campo vibracional ? Devo esperar que me impulsionem a combater um bom combate, ou devo tentar me doar como um bom soldado a qualquer instante sem a necessidade de um irmão de fé ou Guia me solicitar ?

Sejamos alegres em todos os momentos)

2 – Silenciar diante da ofensa.

(Mas como silenciar diante de uma afronta a minha dignidade ? Como ouvir uma injúria e ficar calado ?

É perdoando que se é perdoado” meus irmãos. E é diante de uma ofensa que muitas vezes está a nossa provação, muitas vezes diante de uma difamação é que está nosso caminho para progredirmos se ao silenciarmos, entendermos que o que Deus quer de nós é o nosso progresso moral, que ao silenciar, ou seja, ao ouvirmos com o nosso lado espiritual, estaremos sendo julgados apenas pelo Pai Maior, único que nos julga com leveza, único que verdadeiramente nos concede o perdão.

Muitas vezes o ofensor ao invés de observar seus próprios pontos a melhorar, tende a apontar no outro aquilo que o desagrada, exemplo clássico de orgulho, vaidade e egoísmo mais para com si mesmo do que para com o próximo. Não devemos e nem podemos ditar ao outro as regras da vida, a forma de conduzir ou o caminho que o outro deva seguir. Isso cabe a cada um pois somos seres únicos, cada um com sua escada de progresso)

3 – Esquecer o favor prestado.

(Em absoluto, tudo aquilo que fizermos sem esperarmos recompensa, um dia retornará. Lei de causa e efeito. O que plantei de bom, irei colher melhor. O que plantei em desacordo com as leis morais, irei colher conforme a semente plantada)

4 – Exonerar os amigos de qualquer gentileza para conosco.

(Quem não gosta de uma palavra amiga? De um agrado carinhoso? Deus coloca as pessoas certas em nosso caminho. Estejamos abertos a receber tudo de bom que um amigo possa nos oferecer, mas nunca cobre atenção como se ela fosse devida. Se por ventura pareça que você está “abandonado” no mundo, faça a seguinte reflexão: O que estou emanando para o mundo? São coisas boas? Veja como o retorno é bom quando o que se emana é tão bom quanto)

5 – Emudecer a nossa agressividade.

(Muitas vezes disfarçamos nossa agressividade com falsas palavras amigas para tentar colocar para fora aquilo que estamos sentindo por dentro, e por isso devemos pensar 3 vezes antes de falarmos alguma coisa pois nem sempre sabemos se quem está a frente destas palavras é o nosso eu bom ou nosso eu influenciável por energias diversas como ira, inveja, ciúmes, rancor, que são sentimentos comuns a nós encarnados, podendo conter ou não influência de irmãos que se comprazem com as mesmas. Por isso, CUIDADO é sempre a primeira palavra que devemos ter em nosso pensamento antes de uma conversa, de um conselho, de uma reunião, etc. Nem sempre aquilo que pensamos ser o melhor para o outro, o é. Às vezes uma armadilha vem camuflada de bom conselho.

“A palavra lançada, nunca volta vazia”)

6 – Não condenar as opiniões que divergem da nossa

(Deus nos concedeu o livre-arbítrio, ou seja, nos deu a condição de decidirmos, formarmos nossas próprias ideias. Em lugar algum está escrito que devemos mudar o pensar do outro, o agir do outro. Temos é que seguir nosso caminho tentando melhorar a nós mesmos, o que também inclui ajudar o próximo em suas dificuldades com simplicidade, doçura, amabilidade, sem a pretensão de mudá-lo, sem palavras que possam magoar, sem apontar o erro, sem classificar seus atos.  

Lembre-se do dedo que aponta; Um aponta, três lançam para nós e um diretamente apontado para Deus)

7 – Abolir qualquer pergunta maliciosa ou desnecessária.

(O ato de ouvir é maravilhoso porém o ato de questionar, julgar e apontar qualquer que seja a atitude do próximo é maléfico, improdutivo e muitas vezes não apresenta resultado algum. Será que nossos questionamentos/julgamentos não deveriam ser para nós mesmos ? Interiorizar o bem é um grande mandamento.

As vezes, o menos é mais.)

8 – Repetir informações e ensinamentos sem qualquer azedume.

(Repetir é progresso, significa que alguém está interessado em realmente aprender, em saber. E para aquele que repete é ainda melhor pois quem muito fala, precisa muito ouvir! Então que ao repetir, tenhamos amor, paciência e agradecimento a Deus pela oportunidade de falarmos novamente sobre um determinado assunto)

9 – Treinar a paciência constante.

(Suporte teus desafios e tuas lutas. Tenha a paciência de Jó pois nossas riquezas não são desse mundo. Deus nos permite as provas, e o objetivo é termos paciência, resignação. Todas as ferramentas estão aqui)

10 – Ouvir fraternalmente as mágoas dos companheiros sem biografar nossas dores.

(Muitas vezes queremos desabafar e quando menos esperamos o nosso ouvinte que escolhemos por amigo começa a comparar suas dores, a relatar seus problemas e dizer a quem desabafa que ele não está passando por nada comparado ao que outros vivem.

Volte ao passo 7)

11 – Buscar sem afetação o meio de ser mais útil.

(Eu não sirvo para nada dentro do terreiro, Templo, Igreja. A clássica frase do irmão que se acha inútil)

Para interiorizar: A sua grande utilidade é estar dentro dele. Junte isso a entrega e doação de todo o bem que podemos fazer. O resultado será de grande valia)

12 – Desculpar sem desculpar-se.

(O perdão só é perdão quando não lembramos mais do que passou com sentimento de mágoa. Eu aprendi isso com um amigo. Funciona bem quando ao dormir lembramos de nosso dia e conseguimos pensar em momentos difíceis sem sentir dor. 

“Perdoe não sete, mas setenta vezes sete”)

13 – Não dizer mal de ninguém.

(Qual é o lucro? Nenhum.

É covardia)

14 – Buscar a melhor parte das pessoas que nos comungam a experiência.

(Se pararmos para analisar o lado negativo seremos eternos negativos. Quando observamos o que o irmão de caminhada tem de positivo seremos melhores amigos.

Todos nós temos um lado positivo, algo bom a dizer, a ensinar, a mostrar, uma boa conversa, muitas risadas. Procure começar por esta parte, e se possível estacione por aí)

15 – Alegrar-se com a alegria dos outros.

(Não é maravilhoso ver as pessoas felizes ? Seja pelo que for. A felicidade é algo que contamina.

Seja por um novo emprego, um casamento, um ato de caridade, um encontro com Deus, o reencontro com pessoas queridas. É feliz ver alguém feliz. Seja feliz! É um bom começo para fazer alguém sentir o que é a felicidade)

16 – Não aborrecer quem trabalha.

(Tem o velho ditado: Se não quer ajudar, não atrapalhe.

Seja suave)

17 – Ajudar espontaneamente.

(Não devemos esperar. Seja pró-ativo.

Multiplique, seja mais)

18 – Respeitar o serviço alheio.

(O respeito mútuo deve ser constante. Todo trabalho é válido. Tudo o que executamos com amor e com vontade é reconhecido pelo Pai. Não há melhores, nem piores)

19 – Reduzir os problemas particulares.

(Será que tudo é um grande problema? Vamos encarar os problemas como provas de glória, como momentos que devemos passar sem reclamar mais do que tentar resolvê-los)

20 – Servir de boa mente quando a enfermidade nos fira.

(A dor engrandece nosso espírito. O sofrer muito ou pouco depende de cada um de nós. Eu posso e vou sofrer porque estamos encarnados, temos alegrias e ganhos porém também dores e perdas mas eu vou decidir até quando e a intensidade do meu sofrimento.

Precisamos nos levantar)

O aprendiz da experiência terrena que quiser e puder aplicar-se, pelo menos, a alguns dos vinte exercícios aqui propostos, certamente receberá do Divino Mestre, em plena escola da vida, as mais distintas notas no curso da Caridade.

Que assim seja!

Anúncios

Um comentário sobre “Reforma íntima: Minha ou só a do outro ?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s